Posts com Tag ‘Sistema operacional’

Em minhas constantes buscas pelo “sistema perfeito”, instalei o Ubuntu 9.04 no netbook da Six. A instalação foi um parto, pois a configuração de boot por cartão de memória não queria funcionar de jeito nenhum.

Primeiro copiei o conteúdo do cd para o cartão – sem sucesso na instalação, apesar do sistema reconhecer o hardware e abrir a opção para boot pelo cartão.

Buscando soluções na internet – como sempre – encontrei o criado de usb iniciável, que já vem com o sistema e é prático e rápido. Depois de alguns minutos já estava com meu cartão SD prontinho (é claro que fiz tudo isso em um outro micro, com leitor de cd).

Durante a instação, acabei matando o Windows 7 instalado (propositadamente) e dividi o hd em 2, um com o sistema propriamente dito e outro com o /home (local onde o linux armazena os arquivos de usuários).

Após instalado, fui para a atualização do sistema e percebi que esta versão do Ubuntu faz menos downloads de instalação do que as versões anteriores, o que representa um ganho de tempo.

Todo o hadware foi reconhecido sem problemas, inclusive o bluetooth, que parecia não funcionar tão bem no Window7.

A gama de aplicativos também melhorou, contando com as últimas versões dos principais softwares para Linux (Gimp, OpenOffice, Firefox etc).

Um único senão, que ainda não consegui avaliar bem, é que parece que a bateria está durando mens do que antes, mas preciso fazer essa análise com mais cuidado.

Em breve vou publicar os softwares mais usados e que mais tenho gostado.

Anúncios

A licença de upgrade do Windows 7 Professional custa 397 reais, mesmo preço do Vista Business.

O preço é da lista de preços de produtos para empresas da Microsoft, que é distribuída mensalmente às revendas. Na lista de setembro, o Windows 7 comparece pela primeira vez, mas só na edição Professional, que sucede o atual Vista Business. Os valores publicados são de licenças para upgrade. Convertidos pela taxa de 1,83 real por dólar, ficam assim:

  • Normal (código FQC-02371) – 397 reais
  • Promocional (código FQC-02633) – 338 reais
  • Acadêmico (código FQC-02312) – 149 reais

As edições equivalentes do Vista não aparecem na lista de setembro. Para saber quanto custavam,  consultei a lista de agosto. O que pude constatar é que os preços normal e acadêmico do Windows 7 Professional são idênticos aos do Vista Business. Outra constatação é que os brasileiros vão pagar mais que os americanos pelo software. O preço normal no Brasil é 8% mais alto que o anunciado pela Microsoft nos Estados Unidos. Continuo aguardando os preços das demais edições do Windows 7, que já foram divulgados no exterior, mas não no Brasil.

 Como forma de solucionar o caso antitruste que enfrenta na Europa, a Microsoft sugeriu incluir navegadores de internet rivais do Internet Explorer na próxima versão de seu sistema operacional, o Windows 7. A informação é do jornal The Wall Street Journal.

A Comissão Europeia informou, nesta sexta-feira (24/7), que a desenvolvedora norte-americana de softwares irá incluir uma tela que permitirá aos usuários escolherem navegadores alternativos ao seu programa browser.

A Microsoft é acusada de monopólio por incluir o Internet Explorer nas versões do seu sistema operacional. A investigação foi sugerida em 2007 pela fabricante do browser Opera.

Em junho, a Microsoft ofereceu, como solução, eliminar o Internet Explorer das versões europeias do Windows 7. A sugestão, contudo, não foi bem aceita.

A proposta atual é resultado de muitas conversas entre a empresa e a Comissão Europeia, e se aproxima do que vinha sendo sugerido à desenvolvedora.

Os fabricantes de PCs poderão instalar outros navegadores e, além disso, instalá-los como padrão se quiserem, afirma a Comissão.

A Microsoft ainda propôs melhoria da interoperabilidade entre produtos rivais do Windows e do Windows Server para finalizar outra acusação antitruste.

O órgão europeu ainda investigará a eficiência da oferta para ver se ela oferece uma “escolha real” ao usuário.

 fonte: Pcword

Os netbooks – laptops ultraportáteis, mas com menor poder de processamento e mais baratos – foram uma grata surpresa para o mercado de tecnologia. Com preço abaixo de 300 dólares (nos Estados Unidos), rapidamente esses equipamentos conquistaram uma fatia do mercado de computadores.

Promoções feitas por grandes varejistas norte-americanos, no entanto, estão fazendo com que notebooks com mais recursos já possam ser comprados por menos de 300 dólares. A partir do dia 26 de julho, a rede Wal-Mart vai vender um laptop da linha Compaq Presario por 298 dólares. A máquina tem processador AMD Sempron SI-42 de 2,1 GHz, tela de 15,6 polegadas, 3 gigabytes de RAM, disco rígido de 160 GB e gravador de DVD.

No começo desta semana, outra grande rede de varejo norte-americana, a Best Buy, vendeu um notebook da Acer por 299 dólares. O modelo vinha equipado com processador AMD Athlon 64 de 2 GHz, Windows Vista, 2 GB de RAM e 160 GB de disco rígido. O estoque da Best Buy rapidamente se esgotou.

Em comparação, os netbooks mais baratos do catálogo da Wal-Mart são vendidos por 238 dólares e tem menos recursos que o Compaq Presario que começará a ser vendido no domingo. O Asus Eee PC900HD tem tela de 8,9 polegadas, processador Intel Atom N270 de 1,6 GHz, 512 MB de RAM, disco rígido de 160 GB e Windows XP.

Poucas vezes laptops tiveram seus preços reduzidos abaixo da barreira dos 300 dólares nos EUA. A última vez que isso aconteceu foi em 2007, quando a Toshiba vendeu um laptop por 299 dólares. Atualmente, a maioria dos notebooks à venda na Wal-Mart, por exemplo, custam 350 dólares.

Esta também parece ser a tendência por aqui…

Notícia de ontem (25/06):

A Microsoft informou nesta quinta-feira (25) que seu novo sistema operacional Windows 7 será oferecido como atualização gratuita para todos os computadores com Windows Vista adquiridos a partir de amanhã.

O Windows 7, o novo sistema operacional destinado a substituir o criticado Vista, começará a ser vendido em 22 de outubro
“Caso seja comprada uma versão Windows Vista Home Premium, Windows Vista Business ou Windows Vista Ultimate PC, daremos uma versão similar do Windows 7, de forma gratuita”, explicou um diretor de marketing da Microsoft, Brad Brooks, no blog do grupo.

Depois de ter voltado atrás e liberado novamente a venda do XP, a Microsoft faz mais uma ação tentando evitar que sua imagem seja ainda mais comprometida com o Vista (se é que é possível).

É mais ou menos assim: compre nossa carroça que quando o carro ficar pronto enviamos para você.

Se pudessem, lançavam o Windows 7 hoje!

Após alguns meses de especulação e imagens “vazadas” em sites na internet, a Microsoft mostrou no blog oficial da equipe de desenvolvimento do Windows 7 as embalagens que abrigarão as cópias de seu novo sistema operacional, que deve chegar às lojas em outubro deste ano.

Segundo o texto, ao projetar as embalagens a empresa ouviu o consumidor, que pedia um design “simples, fácil de abrir e que evitasse o desperdício”. Elas mantém as linhas gerais usadas na embalagem do Windows Vista: caixas retangulares com o canto superior direito arredondado. Mas são mais finas e o estranho mecanismo lateral de abertura foi eliminado: agora elas abrem como uma embalagem de DVD.

O conteúdo da embalagem também foi simplificado, e agora inclui apenas o folheto com a arte da capa, o disco com o software e um guia rápido. O esquema de cores que diferencia as versões foi mantido: verde para o Windows 7 Home, azul para o Windows 7 Professional e preto para o Windows 7 Ultimate.

De acordo com a Microsoft, as novas embalagens, feitas com plástico reciclável, são 37% mais leves que as do Windows Vista. Claro que por trás de tudo isso também há um fator econômico: embalagens menores e mais leves usam menos material e ocupam menos espaço durante o transporte, o que resulta em redução de custos. Quem disse que ser verde não compensa?

Quem vive sem um bom antivírus? Aliás, talvez o desafio seja viver sem nenhum vírus na máquina – mas isso algumas vezes parece utopia, ou mesmo uma daquelas brigas que não tem fim.

Depois de instalar o Windows 7, minha preocupação com os vírus ficaram claras, afinal, nem sabemos bem como o sistema está se comportando em relação à estabilidade e um bichinho destes pode nos deixar em uma situação difícil.

A única indicação da Microsoft é o AVG, quem nem consegui instalar direito em nenhuma das 3 máquinas. Frustração total.

Encontrei então uma versão beta do antivírus Kaspersky, famoso tanto por ser um software bem completo, como por deixar a máquina bem lenta.

Resolvi instala-lo (baixei em: http://superdownloads.uol.com.br/download/43/kaspersky-anti-virus-windows-7/ ) e testar o funcionamento.

A instalação foi tranqüila e nas duas últimas semanas nada foi detectado. Como o sistema também vem com firewal, é interessante testar em redes com muitos micros, até para evitar vermes que usam a porta 443 para infectar outras máquinas.

 A lista de vírus é atualizada diariamente de forma automática e a máquina não tem apresentado lentidão.

Se você tem testado o Windows 7, deixe sua experiência sobre antivírus.