Posts com Tag ‘técnico’

Mais uma vez o evento da Apple traz novidades. Diferente dos anos anteriores, talvez a maior seja o próprio Jobs.

Veja a matéria do UOL Tecnologia:

Os boatos foram confirmados: Steve Jobs está de volta à Apple, depois de um transplante de fígado e traz novas funções para a linha de produtos da empresa.

Bastante debilitado e com voz baixa, o “todo poderoso” da Apple foi aplaudido ao relembrar que, cinco meses atrás, passou por um transplante de fígado e agradecer ao doador pela generosidade. Jobs também confirmou o que todo macmaníaco gostaria de ouvir: “Estou de volta à Apple e amando cada minuto disso. É maravilhoso”.

A principal novidade apresentada no evento foi o novo iPod Nano com câmera para fotos e vídeos (640×480 pixels, em 30 frames por segundo). O pequeno player com capacidade de 8 GB custará US$ 149 e o de 16 GB, por US$ 179.

O Nano também traz alto falante e rádio FM embutidos, app para gravação de voz, como a do iPhone e iPod Touch e virá em novas cores: laranja, preto, prata, vermelho, verde, azul, roxo, rosa e amarelo. De acordo com a Apple, o tocador já vendeu mais de 100 milhões de unidades.

Upgrade em outros modelos

Embora o modelo Nano do iPod foi o que ganhou melhorias mais significativas, é o Touch que se destaca nas vendas, com mais de 20 milhões de unidades comercializadas —segundo a Apple, a empresa tem 73,8% do mercado de tocadores musicais dos EUA.

Os novos iPod Touch ganham capacidades 32 e 64 GB e serão vendidos por US$ 299 e US$ 399, respectivamente.

Durante a apresentação, a Apple apresentou o Touch como como alternativa aos videogames portáteis. Durante a apresentação, fabricantes de game fizeram algumas demostrações. É o caso da EA, que mostrou o jogo de futebol americando Madden NFL 2010 e a Gameloft com o Riddin Ribbon. Além desses jogos foram anunciados os jogos Command and Conquer e NBA Live.

O argumento usado para a utilização do iPod Touch é o número de jogos em comparação aos concorrentes no segmento de games. São mais de 20000 títulos, enquanto os concorrentes Sony PsP e Nintendo DS apresentam números menores, 607 e 3680 respectivamente. Os jogos também estarão disponíveis para o iPhone.

O “parrudo” iPod Classic agora é capaz de armazenar até 40 mil músicas com os seus 160 GB de capacidade. Será vendido por US$ 249.

Já o Shuffle ganhou uma versão de aço inoxidável, por US$ 99 e novas cores: prata, rosa, verde e azul e preto (US$ 59)

iTunes

O player multimídia da Apple também ganha novas funções. O novo iTunes 9.0 vem com uma série de mudanças, entre elas um design mais “limpo” comparado a versão anterior e melhorias na função Genius, que cria playlists de música conforme as preferências do usuário.

A função, segundo o CEO da Apple, terá melhor desempenho na sincronização de músicas, fotos e aplicativos. O iTunes 9.0 também permitirá a cópia de conteúdo entre outros cinco computadores Mac.

Outra novidade é o iTunes LP que disponibilizará os clássicos da música de vinil em formato digital para download, incluindo vídeos sobre os artistas. Além disso, há um outro recurso chamado iTunes Extra que será uma espécie de buscador de conteúdos extras de filmes baixados pelo iTunes.

Em um ano a loja virtual da Apple de aplicativos, a App Store, já disponibilizou 75 mil aplicativos.E a loja contabiliza 1,8 bilhão de downloads. Esses números tornaram o iTunes o maior varejista de música do mundo.O programa já está disponível gratuitamente para download.

Anúncios

São Paulo – Mal começou a recuperação econômica e o setor de construção civil já se depara com a disputa por engenheiros. O setor foi um dos menos atingidos pela crise econômica e um dos que mais rapidamente voltou a crescer, graças à resistência do mercado interno e a estímulos como o pacote habitacional “Minha Casa, Minha Vida”, lançado em março.

 No primeiro semestre de 2009, foram criadas 3,1 mil vagas para profissionais com diploma universitário na construção civil, de acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). O número ainda está longe dos 7 mil postos criados no mesmo período de 2008, ano considerado excepcional, mas já está próximo das 3,5 mil vagas criadas nos primeiros seis meses de 2007.

De acordo com o presidente do Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (Confea), Marcos Túlio de Melo, mesmo com um ritmo menor de abertura de postos de trabalho, o reaquecimento já trouxe de volta a disputa por engenheiros. “Ainda temos um déficit grande de profissionais que só vai ser suprido daqui a dois ou três anos”, diz. No ano passado, a disputa por engenheiros elevou os salários pagos no setor.

As incorporadoras Gafisa e Tenda, pertencentes ao mesmo grupo, adotaram uma linha de estímulos para atrair os profissionais. Em 20 de julho, as empresas abriram as inscrições para o programa Comece Bem, que pretende contratar jovens engenheiros civis e de Produção no segundo semestre. “Vamos fornecer para o profissional um período formação profissional”, diz Rodrigo Pádua, diretor de Recursos Humanos da Gafisa. Segundo ele, o grupo pretende se fortalecer para um crescimento que virá no curto e médio prazo. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo. Fonte: Portal Abril – 06/08/2009

Encontrei essa matéria no HSM e achei bem interessante, por isso estou repartindo com vocês.

Gestão 2.0 : Por quê líderes criativos são tão raros?

por Marcelão em 27 de Julho de 2009 às 11:27 am

Pessoal,

encontrei no site da Harvard Business Review artigo do professor Navi Radjou, diretor executivo do centro de pesquisas sobre a Índia da Universidade de Cambridge, em que ele comenta uma palestra apresentada pelo Dr. Abdul Kalam, ex-presidente da Índia, com o título “Liderança criativa na economia do conhecimento Global”.

Na sua palestra, o Dr. Kalam discursou sobre as mudanças tecnológicas e sócio-econômicas ocorridas no mundo, como o deslocamento do centro de gravidade econômica e geopolítica do ocidente para o oriente, o ritmo acelerado de mudanças tecnológicas e a crescente escassez de recursos.

Diante desse cenário, Dr. Kalam argumentou que as empresas, bem como as nações precisam desesperadamente do que ele chama de “líderes criativos,” uma nova geração de líderes visionários e empáticos que agem menos como comandantes e mais como treinadores, menos como gerentes e mais como facilitadores, e que permitem o auto-respeito antes de exigir respeito.

A partir de sua experiência, o Dr. Kalam articulou os oito princípios fundamentais de uma liderança criativa que são críticos para a condução de inovação e de crescimento na economia do conhecimento:

– O líder deve estabelecer uma visão para a organização;

– O líder deve ter paixão para transformar essa visão em ação;

– O líder deve ser capaz de liderar em um mundo de incerteza;

– O líder deve saber como liderar tanto no sucesso quanto no fracasso;

– O líder deve ter coragem de tomar decisões;

– O líder deve ter nobreza ao liderar;

– Cada ação do líder deve ser transparente;

– O líder deve trabalhar com integridade e ter sucesso com integridade;

 Para ilustrar seu ponto, o Dr. Kalam citou líderes que para ele lideravam imbuídos com estas oito qualidades. Por exemplo, quando Índia fracassou no lançamento do primeiro satélite missão em 1979, o presidente da agência espacial indiana, Prof Satish Dhawan assumiu total responsabilidade pela falha, embora o Dr. Kalam tenha sido realmente o diretor da missão.  Mas no ano seguinte, quando alcançaram o sucesso ao colocar o primeiro satélite contruído na Índia em órbita, o professor Dhawan não compareceu à conferência de imprensa, mas sim o Dr. Kalam para quem ele pediu que compartilhasse a história de sucesso com a mídia, dando-lhe todo o crédito para o sucesso da missão.

O autor do artigo comentou sobre como a economia mundial mergulhou em uma profunda recessão ao longo dos últimos doze meses devido a uma falta de liderança criativa em toda a sociedade e política. A falta de transparência – e muito menos nobreza – foi gritante entre as instituições financeiras, que acabou por conduzir à sua queda. Além disso, recentes escândalos políticos nos fizeram lembrar da absoluta falta de integridade em todo o espectro político.

O autor espera que, à medida que vamos saindo da recessão econômica, as empresas e os cidadãos irão eleger líderes empresariais e políticos que pratiquem uma liderança criativa com nobreza e integridade, que procurem agir menos como comandantes e mais como facilitadores, que sejam dotados de uma bússola moral que lhes permite trabalhar com integridade – e ter sucesso com integridade.

Concordo em gênero, número e grau com o professor Navi Radjou. O tema competências dos líderes do futuro é recorrente aqui nesse blog e deveria ganhar importância maior nas empresas, se elas quiserem realmente tornar-se sustentáveis, conciliando competitividade com a ética.

Esse é mais um post que vai para a série “Gestão 2.0″.

E você leitor, quem você considera como líderes criativos que apresentam os princípios acima relacionados? Quais os passos que sua organização está tomando para produzir tais lideranças?

Um abraço.

P.S : Força, Massinha!

Segue o link para a matéria

http://hsm.updateordie.com/updateordie.com/empresas/2009/07/gestao-20-por-que-lideres-criativos-sao-tao-raros/

 Como forma de solucionar o caso antitruste que enfrenta na Europa, a Microsoft sugeriu incluir navegadores de internet rivais do Internet Explorer na próxima versão de seu sistema operacional, o Windows 7. A informação é do jornal The Wall Street Journal.

A Comissão Europeia informou, nesta sexta-feira (24/7), que a desenvolvedora norte-americana de softwares irá incluir uma tela que permitirá aos usuários escolherem navegadores alternativos ao seu programa browser.

A Microsoft é acusada de monopólio por incluir o Internet Explorer nas versões do seu sistema operacional. A investigação foi sugerida em 2007 pela fabricante do browser Opera.

Em junho, a Microsoft ofereceu, como solução, eliminar o Internet Explorer das versões europeias do Windows 7. A sugestão, contudo, não foi bem aceita.

A proposta atual é resultado de muitas conversas entre a empresa e a Comissão Europeia, e se aproxima do que vinha sendo sugerido à desenvolvedora.

Os fabricantes de PCs poderão instalar outros navegadores e, além disso, instalá-los como padrão se quiserem, afirma a Comissão.

A Microsoft ainda propôs melhoria da interoperabilidade entre produtos rivais do Windows e do Windows Server para finalizar outra acusação antitruste.

O órgão europeu ainda investigará a eficiência da oferta para ver se ela oferece uma “escolha real” ao usuário.

 fonte: Pcword

Os netbooks – laptops ultraportáteis, mas com menor poder de processamento e mais baratos – foram uma grata surpresa para o mercado de tecnologia. Com preço abaixo de 300 dólares (nos Estados Unidos), rapidamente esses equipamentos conquistaram uma fatia do mercado de computadores.

Promoções feitas por grandes varejistas norte-americanos, no entanto, estão fazendo com que notebooks com mais recursos já possam ser comprados por menos de 300 dólares. A partir do dia 26 de julho, a rede Wal-Mart vai vender um laptop da linha Compaq Presario por 298 dólares. A máquina tem processador AMD Sempron SI-42 de 2,1 GHz, tela de 15,6 polegadas, 3 gigabytes de RAM, disco rígido de 160 GB e gravador de DVD.

No começo desta semana, outra grande rede de varejo norte-americana, a Best Buy, vendeu um notebook da Acer por 299 dólares. O modelo vinha equipado com processador AMD Athlon 64 de 2 GHz, Windows Vista, 2 GB de RAM e 160 GB de disco rígido. O estoque da Best Buy rapidamente se esgotou.

Em comparação, os netbooks mais baratos do catálogo da Wal-Mart são vendidos por 238 dólares e tem menos recursos que o Compaq Presario que começará a ser vendido no domingo. O Asus Eee PC900HD tem tela de 8,9 polegadas, processador Intel Atom N270 de 1,6 GHz, 512 MB de RAM, disco rígido de 160 GB e Windows XP.

Poucas vezes laptops tiveram seus preços reduzidos abaixo da barreira dos 300 dólares nos EUA. A última vez que isso aconteceu foi em 2007, quando a Toshiba vendeu um laptop por 299 dólares. Atualmente, a maioria dos notebooks à venda na Wal-Mart, por exemplo, custam 350 dólares.

Esta também parece ser a tendência por aqui…

Notícia de ontem (25/06):

A Microsoft informou nesta quinta-feira (25) que seu novo sistema operacional Windows 7 será oferecido como atualização gratuita para todos os computadores com Windows Vista adquiridos a partir de amanhã.

O Windows 7, o novo sistema operacional destinado a substituir o criticado Vista, começará a ser vendido em 22 de outubro
“Caso seja comprada uma versão Windows Vista Home Premium, Windows Vista Business ou Windows Vista Ultimate PC, daremos uma versão similar do Windows 7, de forma gratuita”, explicou um diretor de marketing da Microsoft, Brad Brooks, no blog do grupo.

Depois de ter voltado atrás e liberado novamente a venda do XP, a Microsoft faz mais uma ação tentando evitar que sua imagem seja ainda mais comprometida com o Vista (se é que é possível).

É mais ou menos assim: compre nossa carroça que quando o carro ficar pronto enviamos para você.

Se pudessem, lançavam o Windows 7 hoje!

Após alguns meses de especulação e imagens “vazadas” em sites na internet, a Microsoft mostrou no blog oficial da equipe de desenvolvimento do Windows 7 as embalagens que abrigarão as cópias de seu novo sistema operacional, que deve chegar às lojas em outubro deste ano.

Segundo o texto, ao projetar as embalagens a empresa ouviu o consumidor, que pedia um design “simples, fácil de abrir e que evitasse o desperdício”. Elas mantém as linhas gerais usadas na embalagem do Windows Vista: caixas retangulares com o canto superior direito arredondado. Mas são mais finas e o estranho mecanismo lateral de abertura foi eliminado: agora elas abrem como uma embalagem de DVD.

O conteúdo da embalagem também foi simplificado, e agora inclui apenas o folheto com a arte da capa, o disco com o software e um guia rápido. O esquema de cores que diferencia as versões foi mantido: verde para o Windows 7 Home, azul para o Windows 7 Professional e preto para o Windows 7 Ultimate.

De acordo com a Microsoft, as novas embalagens, feitas com plástico reciclável, são 37% mais leves que as do Windows Vista. Claro que por trás de tudo isso também há um fator econômico: embalagens menores e mais leves usam menos material e ocupam menos espaço durante o transporte, o que resulta em redução de custos. Quem disse que ser verde não compensa?